Insights

mHealth e PSPs: O uso de smartphones na indústria farmacêutica

mHealth e PSPs: O uso de smartphones na indústria farmacêutica

mHealth e PSPs: O uso de smartphones na indústria farmacêutica mHealth e PSPs: O uso de smartphones na indústria farmacêutica
Gerente de contas, Equipe de Saúde & Farmacêutica
Valtech Dinamarca
Johnson Abraham

outubro 15, 2019

Principais descobertas de um estudo compreensivo

Nos últimos anos, as comunicações móveis e o uso de smartphones vêm se tornando cada vez mais importantes para as empresas farmacêuticas. Em 2018 havia 350.000 aplicativos de mHealth – o que representa um aumento de 47% em relação a 2017. Como parceiros de confiança de diversas companhias farmacêuticas, decidimos examinar imenso o mercado das ofertas de mHealth – para aprender com suas armadilhas e seus sucessos e usar este conhecimento para ajudar a indústria a oferecer iniciativas de mHealth e PSPs (programas de suporte ao paciente).

Nesta postagem do blog, compartilharemos algumas de nossas principais descobertas. Caso tenha interesse em todos os resultados e recomendações, você pode baixar o relatório completo (em inglês).

Quem e como nós avaliamos

Em nosso relatório completo, você pode encontrar todos os detalhes do planejamento e do desenvolvimento do estudo. Mas, em resumo, nossos especialistas analisaram detalhadamente as soluções mais populares para ver quais partes das iniciativas atuais de mHealth fornecem o melhor engajamento de pacientes e entrega os melhores resultados, tanto para pacientes quanto para a empresa.

Nossas descobertas

Ainda que nosso relatório final seja muito extenso para uma postagem de blog, queremos compartilhar nossas principais descobertas e contribuir para que as empresas farmacêuticas possam criar um parâmetro para serviços digitais mais eficientes tanto para elas quanto para pacientes. Abaixo você encontrará um resumo de algumas descobertas:

  • Os resultados não corresponderam ao esforço

    A descoberta mais importante de nossa avaliação foi que os resultados não corresponderam ao esforço feito pelos usuários. De todas as iniciativas que revisamos, quase 80% exigiam um alto esforço, mas apenas 17% delas ofereciam resultados tangíveis aos pacientes. Isso é muito sério e demonstra que é fundamental aperfeiçoar os serviços.

  • Falsa proposição de valor

    62% das iniciativas de mHealth tinham uma proposição de valor forte ou efetiva. Infelizmente, descobrimos que apenas 23% delas entregaram o resultado prometido a seus pacientes.

  • Rich Media é extremamente subestimado

    De todas as iniciativas de mHealth que analisamos, apenas 15% usavam Rich Media. Além disso, dois terços dos serviços tinham textos longos ou semi-longos como parte de seu conteúdo principal e demandavam um grande esforço para serem absorvidos.

  • A personalização está no radar

    A maioria das iniciativas ofereceram algum tipo de personalização, mas 40% dos serviços falharam em fornecer uma experiência sob medida, baseada nos interesses e comportamentos do usuário.

  • Consideração dos dispositivos móveis

    Quase todas as iniciativas consideraram o dispositivo em termos de design. No entanto, apenas 35-40% realmente utilizaram todo o potencial dos recursos internos. 75% não forneceram experiências conectadas, como integração com serviços do dispositivo ou com outros dispositivos, o que poderia ter adicionado valor em termos da experiência e empoderamento do paciente.

Então o que recomendamos para uma iniciativa de mHealth de sucesso?

Com base em nosso estudo, acreditamos que exista muito espaço para crescimento. Em nosso relatório completo, você pode encontrar recomendações relacionadas a cada descoberta, mas nesta postagem, gostaríamos de oferecer uma recomendação geral: focar no usuário!

Assim como em todas as outras indústrias, acreditamos que qualquer iniciativa bem-sucedida de mHealth ou PSP deva estar centrada no paciente, mapear a sua jornada e compreender suas necessidades em cada etapa.

Assim como em todas as outras indústrias, acreditamos que qualquer iniciativa bem-sucedida de mHealth ou PSP deva estar centrada no paciente.

Da mesma forma, é preciso ser muito mais crítico em relação ao que você espera e oferece aos pacientes. A proposição de valor precisa ser realista. Com isso, não queremos de modo algum dizer que as empresas precisem prometer menos. Elas simplesmente devem compreender melhor suas obrigações e oportunidades de apoiar o paciente. Utilizar gamificação e oferecer Rich Media e o sistema de apoio correto farão enorme diferença.

Isso não apenas melhora a iniciativa de mHealth, mas também torna as companhias farmacêuticas consistentes em seus serviços e pontos de contato. Em troca, isso melhora a efetividade da assistência médica oferecida e a experiência, além de impulsionar mudanças comportamentais – proporcionando melhores resultados aos pacientes. Todos ganham.

Para todos os insights, veja o relatório completo aqui.
Para entrar em contato diretamente com nossa equipe, mande-nos uma mensagem e te responderemos em breve.

Enfrente os desafios da economia digital de hoje

Pronto para dar o primeiro passo e aumentar o seu potencial digital? Entre em contato com a Valtech hoje.
Fale conosco
Enfrente os desafios da economia digital de hoje